Confira as orientações da psicóloga Simone Scheibe da Equipe Multiprofissional de Fibrose Cística do Hospital Infantil Joana de Gusmão!

 

Tão importante quanto aprender a realizar o tratamento corretamente, é aprender a cuidar do seu bem-estar emocional, pois isto impactará diretamente na saúde mental do seu filho e na qualidade de vida de todos na família. 

Os desafios diários do tratamento da Fibrose Cística (FC) podem afetar negativamente a saúde mental de todos os envolvidos. Uma habilidade que pode ser sua aliada nesta questão é a construção da resiliência, a qual pode ser entendida como a capacidade de lidarmos com situações estressantes do dia-a-dia mantendo a nossa saúde mental. Essa capacidade pode ser aprendida e construída com atitudes a serem incorporadas na sua rotina.

 

Antes de abordarmos sobre estas atitudes, um lembrete importante: cuidar da saúde mental na convivência com uma doença crônica como a FC implica em nos relacionar com o nosso filho para além-do-tratamento-que-precisa-ser-feito-todos-os-dias, conseguindo abrir um espaço de relação onde possamos alcançar o nosso filho por inteiro; conhecendo os seus interesses e gostos, conversando sobre as atividades que ele faz, o que ele pensa sobre o mundo e etc. Implica também na possibilidade  

de projetar a vida de nosso filho para além do seu corpo que precisa de tratamento, mas o vendo como uma pessoa inteira, com limites sim (como todos nós!), mas com muitas possibilidades para viver um futuro possível.  Os desafios, muitas vezes, não são fáceis, mas é possível ter uma vida plena e cheia de sentido! 

 

Recomendações para cuidar de sua saúde mental:

- Em primeiro lugar, busque conhecer a doença e o tratamento e como realizar todas as etapas; isto ajudará você a organizar uma rotina. Tenha um caderno onde anote as dificuldades vivenciadas e dúvidas para trazer na consulta com os diferentes profissionais da equipe.

- Organize uma rotina para além-do-tratamento, incluindo tempo para atividades prazerosas. Planeje atividades ou pequenos passeios para curtir em família.

A FC é parte de uma rotina e não deve ser o único foco da vida familiar.

- Priorize um momento durante o dia ou a semana para se conectar com algo que te relaxa, como por exemplo: ouvir uma música, curtir um banho, cozinhar um prato diferente, assistir a um filme, ler um livro, fazer alguma atividade ligada à natureza, onde você possa pegar uns minutos de sol! Aliado a tudo isso, pratique bons hábitos de sono e alimentação;

- Exerça o hábito de compartilhar os seus sentimentos com alguém de confiança; se necessário, busque apoio profissional para elaborar os desafios ao longo da caminhada e fortalecer sua capacidade de enfrentamento. 

- Procure, de tempos em tempos, olhar para o modo como você está vivendo e o que pode fazer para se conectar com a força, otimismo e esperança;  

-  Aprenda a delegar tarefas e pedir ajuda;

- Converse com pessoas que estão enfrentando os mesmos desafios para compartilhar boas práticas;  

- Aprenda técnicas de respiração e relaxamento e as pratique durante uns minutos do seu dia;

- Pratique a gratidão todos os dias e busque construir uma vida plena para você e sua família! 

 

Essas recomendações não substituem uma avaliação e cuidado profissional. Portanto, não hesite em buscar ajuda profissional, principalmente se você:

- Observar a presença de sintomas de ansiedade e/ou depressão de grau significativo nas rotinas diárias, tais como: 

1) Perder a capacidade de relaxar;

2) Não conseguir ter mais prazer nas atividades diárias;

3) Ser tomado por pensamentos negativos e preocupações; 

4) Sentir tristeza e desânimo em quase todos os dias; 

5) Ter vontade de chorar frequentemente; 

6) Estar apático ou com sentimento de indiferença; 

7) Ter vontade de se isolar e não conversar com ninguém; 

8) Estar com irritabilidade; 

9) Agir com agressividade para com os outros; 

10) Ter insônia ou, pelo contrário, sono em demasia. 

 

Essas reações podem acontecer em algum momento, mas se lembre que você pode conversar mais detalhadamente sobre isto com a Equipe do seu Centro de Referência, a qual lhe indicará caminhos para o melhor enfrentamento e/ou para obter um apoio profissional especializado.

 

Fonte:    

Cystic Fibrosis Foundation. BLAIR, Shaina; SNELL,Carolyn. CF and mental health: building resilience. A guide for parentes and caregivers. Disponível em: https://www.cff.org/Life-With-CF/Daily-Life/Emotional-Wellness/CF-and-Mental-Health.pdf