Séculos antes de chegarmos à Idade Contemporânea, quando a feitiçaria e os desejos divinos eram as explicações dominantes na Idade Média, um ditado popular na Europa Ocidental dava a sentença: “Criança que tem gosto de sal morrerá cedo”. Na Idade Moderna, ainda sob efeito de encantamentos, na Alemanha ainda reverberava a magia sobre as crianças salgadas, com um ditado popular semelhante: “A pobre criança cuja testa ao beijo é salgada está enfeitiçada e logo morrerá”. 

Avançamos na ciência, na nossa percepção como indivíduos e na participação na sociedade. Hoje podemos identificar esses ditados e mitos populares disseminados pelo povo. Sabemos a origem do excesso de sal, dos tratamentos que precisam ser feitos e das escolhas que necessitam de pausa, reflexão e coragem. Ainda assim, muitos mitos cercam a fibrose cística. Leia agora quatro mitos e uma verdade sobre a FC:

 

Fibrose cística é uma doença pediátrica.

Mito! A cada evolução da medicina, a cada novo medicamento, tratamento, atenção à saúde, a expectativa de vida para a fibrose cística vai aumentando. Já faz tempo que a fibrose cística vem perdendo essa aparência de doença infantil e isso se deve aos esforços da ciência, dos profissionais de saúde e da força de vida das pessoas com FC.

 

Pessoa com FC não pode ter filho.

Mito. Em termos. Sabe-se que a maioria dos homens com fibrose cística é estéril pela ausência dos canais de passagem dos espermatozóides. Entretanto, esse não é um total impeditivo. As pessoas com fibrose cística são inférteis? Não. É simples gestar? Também não. A única maneira de construir família é através de gestação tradicional? De maneira alguma.

 

Pessoa com FC grave não pode fazer exercício físico.

Mito e dos fortes! O exercício físico, além de ser excelente para liberar os hormônios de prazer e bem estar, faz parte do tratamento para a fibrose cística. Independente do comprometimento físico, é preciso se exercitar. A diferença está no impacto e no tipo de atividade física que será praticada, além das preferências por cada modalidade... assim como qualquer pessoa no mundo.

 

Criança assintomática não precisa fazer tratamento.

Adivinhem? Mito também. A fibrose cística não está condicionada aos sintomas clássicos: secreção, falta de ar, dificuldade em manter peso, e toda a extensa lista e sinais. Independente da manifestação clínica, a fibrose cística continua no nosso DNA. Além disso, um estudo realizado na Austrália constatou dano pulmonar mesmo em bebês assintomáticos, com alterações tomográficas em 80% dos casos, infecção bacteriana em 20% e evidências de inflamação pulmonar em 77%. Fazer o tratamento é a maneira que temos para retardar esses efeitos físicos e nos mantermos mais ativos e participativos do nosso dia a dia.

 

A fibrose cística não é o limite das nossas vidas

Essa é a maior verdade de todas e é muito importante que repitamos todos dias como um lembrete de que somos ilimitados. Cada um de nós vive a vida do jeito que achar melhor, sem crenças limitantes e sem a busca pelo padrão do outro. Fazemos nossas próprias regras e buscamos a nossa própria felicidade. Essa é a verdade que todos devem compartilhar.